25 agosto

Hospital de Penafiel inaugura clínica para melhorar tratamento do pé diabético

Escrito por 

A primeira clínica para o pé diabético da rede pública, hoje inaugurada em Penafiel, permitirá incrementar os resultados nos tratamentos, que já são "os melhores do país" naquela patologia, previu hoje a direção do hospital de Penafiel.

"Nós somos o melhor hospital do país nesta área, porque, ao longo de muitos anos, fomos consolidando o trabalho multidisciplinar", referiu Carlos Aberto, presidente da administração, acrescentando: "Se já tínhamos bons resultados, podemos agora esperar mais e os nossos doentes vão agradecer".

O dirigente referia-se aos indicadores do Centro Hospital do Tâmega e Sousa (CHTS), que integra os hospitais de Penafiel e Amarante, que apresenta a taxa mais baixa do país de amputações em doentes com pé diabético.

Os resultados, acentuou, refletem o "trabalho notável" realizado pela equipa multidisciplinar do pé diabético, criada naquele centro hospitalar há duas décadas, efeméride que hoje foi assinalada em ambiente de festa no Hospital Padre Américo.

Na cerimónia de inauguração da Clínica do Pé Diabético, situada no piso das consultas externas, Conceição Bacelar, representante da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), saudou o trabalho que está a ser realizado no CHTS, na área do tratamento da diabetes, frisando que os resultados alcançados são "uma espécie de fermento e estímulo" para outras unidades hospitalares no norte do país.

A médica Maria de Jesus Dantas, responsável pela equipa multidisciplinar, recordou o pioneirismo do CHTS quando, em 1998, com "muitas dificuldades", criou a consulta do pé diabético e saudou os resultados alcançados desde então, que estão entre os melhores em Portugal.

A equipa multidisciplinar, recordou, realiza cerca de 3.500 consultas por ano, "800 das quais são primeiras consultas".

Em 2015, o CHTS apresentava o valor mais baixo de amputações por pé diabético, por 100 mil habitantes, situado nos 0,9, indicador que vinha a diminuir desde 2013, quando se situava nos 2,3.

De acordo com dados oficiais, a média na região norte em 2015 era de 3,4 amputações por cada 100 mil habitantes e no contexto do país de 5,5.

Em 2017, a médica Maria de Jesus Dantas conquistou o Prémio Bial de Medicina Clínica, em reconhecimento pelos resultados da consulta do pé diabético na região do Tâmega e Sousa.

Na cerimónia de hoje, perante dezenas de profissionais de saúde e outros convidados, a médica assinalou que o sucesso resultou de um trabalho de muitos profissionais do centro hospitalar, com uma oferta integral de cuidados, aos quais agradeceu.

A nova Clínica do Pé Diabético, assinalou, também, será mais um passo em frente na melhoria dos tratamentos administrados aos doentes, disponibilizando condições que vão de encontro às necessidades específicas dos profissionais de saúde e dos doentes, grande parte dos quais carenciados.

O espaço compreende áreas de tratamentos, com equipamentos específicos, laboratórios e gabinetes de consultas.

Uma das salas da clínica, nomeadamente o laboratório de suportes plantares, foi batizada com o nome do médico Freire Soares, antigo diretor clínico do então designado Centro Hospitalar do Vale do Sousa, que compreendia os hospitais de Penafiel e Paredes).

O equipamento daquele laboratório foi oferecido pela Liga dos Amigos do Hospital Padre Américo, que hoje também foi homenageada.

 

in tsf.pt

Visto 72 vezes

Consulta de Pé Diabético

Av. Hospital Padre Américo

Penafiel

T.: 255 714 000

E.: pediabetico@chts.pt